FTM_2017.jpg

Visto que estamos a comemorar o centenário das aparições de Fátima, decidi escolher este tema e partilhar aqui convosco a informação disponível sobre os segredos ou as revelações de Fátima. Vamos começar.

Em primeiro lugar, a expressão “Segredos de Fátima” é um conjunto de revelações alegadamente apresentadas por Nossa Senhora às três crianças portuguesas, Lúcia Francisco  e  Jacinta , mais conhecidos como “os três pastorinhos de Fátima”, sobre os quais  já falámos numa publicação anterior.

De maio a outubro do ano de 1917, as três crianças afirmaram ter testemunhado aparições de “uma Senhora mais brilhante do que o Sol”, a qual se terá apresentado a 13 de outubro como sendo Nossa Senhora do Rosário, e que é hoje devotada nacional e internacionalmente sob o título mariano de Nossa Senhora de Fátima.

Segundo a Irmã Lúcia, que mais tarde se tornaria freira da Ordem das Carmelitas Descalças, a 13 de julho de 1917, Nossa Senhora terá revelado um segredo de caráter profético, constituído por três partes.  As duas primeiras partes foram reveladas no decorrer do ano de 1941, num documento escrito por Lúcia. A terceira parte foi escrita por Lúcia a  3 de janeiro do ano de 1944, por ordem do bispo de Leiria, e mais tarde revelada no ano de 2000.

Como já referi, este segredo ou este conjunto de revelações, é composto por 3 partes. A primeira parte é a visão do Inferno:

“Nossa Senhora mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra. Mergulhados neste fogo os demónios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras ou bronzeadas com forma humana, que flutuavam no incêndio levadas pelas chamas que delas mesmas saíam, juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das faúlhas nos grandes incêndios, sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizava e fazia estremecer de pavor. Os demónios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes e negros. Esta visão foi um momento, e graças à nossa boa Mãe do Céu, que antes nos tinha prevenido com a promessa de nos levar para o Céu (na primeira aparição)! Se assim não fosse, creio que teríamos morrido de susto e pavor.” – Memórias da Irmã Lúcia

A segunda parte deste segredo é a devoção ao Imaculado Coração de Maria e a conversão da Rússia:

“ Em seguida, levantamos os olhos para Nossa Senhora que nos disse com bondade e tristeza:

Vistes o Inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração. Se fizerem o que eu disser salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar, mas se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior. Quando virem uma noite, alumiada por uma luz desconhecido,  saberão que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai punir o mundo pelos seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Pai. Para a impedir virei pedir a consagração da Rússia a meu Imaculado Coração e a Comunhão Reparadora nos Primeiros Sábados. Se atenderem a meus pedidos, a Rússia converter-se-á e terão paz. Senão, espalhará os seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados, o Santo Pai terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas, mas por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Pai consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz.” – Memórias da Irmã Lúcia

Mais tarde, foi revelado o terceiro e mais polémico segredo de Fátima. As duas primeiras partes  foram reveladas em 1941, num documento manuscrito por Lúcia. A terceira parte foi escrita por Lúcia a 3 de Janeiro de 1944, por ordem do bispo de Leiria, José Alves Correia da Silva, que o guardou, num envelope selado, no seu arquivo. No dia  4 de Abril de 1957, o envelope foi entregue ao Arquivo Secreto do Santo Ofício, onde ficou guardado.

Antes de entregar ao Bispo de Leiria-Fátima o envelope selado com a terceira parte do Segredo, a Irmã Lúcia tinha escrito num envelope exterior que podia ser aberto somente depois do ano de 1960 pelo Patriarca de Lisboa ou pelo Bispo de Leiria. Interrogada sobre o motivo porque o fizera e se fora Nossa Senhora que indicara aquela data, a Irmã Lúcia respondeu que “Não foi Nossa Senhora; fui eu que pus a data de 1960 porque, segundo a minha intuição, antes de 1960 não se perceberia, compreender-se-ia somente depois. Agora pode compreender-se melhor. Eu escrevi o que vi; não me compete a mim a interpretação, mas ao Papa”.  O texto foi lido pelos Papas João XXIII e Paulo VI, que decidiram não publicá-lo, apesar de tudo.

O Papa João Paulo II, por sua vez, pediu o envelope com a terceira parte do segredo após o atentado ocorrido em Fátima a 13 de Maio de 1981. Finalmente, a 13 de Maio de 2000, durante a sua visita a Portugal, o Papa João Paulo II, por meio do seu Secretário de Estado, Cardeal Angelo Sodano, divulgou no Santuário de Fátima parte do conteúdo da terceira parte do Segredo.

Aqui vos revelo o Terceiro Segredo de Fátima:

« J.M.J.

A terceira parte do segredo revelado a 13 de Julho de 1917 na Cova da Iria-Fátima.

Escrevo em acto de obediência a Vós Deus meu, que mo mandais por meio de sua Ex.cia Rev.ma o Senhor Bispo de Leiria e da Vossa e minha Santíssima Mãe.

Depois das duas partes que já expus, vimos ao lado esquerdo de Nossa Senhora um pouco mais alto um Anjo com uma espada de fogo na mão esquerda; ao cintilar, despedia chamas que parecia que iam incendiar o mundo, mas apagavam-se com o contacto do brilho que da mão direita expedia Nossa Senhora ao seu encontro: O Anjo apontando com a mão direita para a terra, com voz forte disse: Penitência, Penitência, Penitência! E vimos numa luz imensa que é Deus: “algo semelhante a como se veem as pessoas num espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestido de Branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”. Vários outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subiam uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fora de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meio em ruínas, e meio trémulo com andar vacilante, acabrunhado de dor e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás outros os Bispos Sacerdotes, religiosos e religiosas e várias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições. Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal na mão, neles recolhiam o sangue dos Mártires e com ele regavam as almas que se aproximavam de Deus.

Tuy -3-1- 1944 »

Este texto foi objeto de um comentário teológico da autoria do então Cardeal Joseph Ratzinger, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, publicado, juntamente com o texto integral do segredo, em 26 de Junho de 2000. Este comentário começa por estabelecer o lugar teológico das revelações privadas, seguindo com a estrutura antropológica das mesmas. Faz então uma tentativa de interpretação do Segredo de Fátima, na sua globalidade. Segundo essa interpretação da Santa Sé, “o segredo consiste numa visão profética, comparável às da Sagrada Escritura, que não descrevem de forma fotográfica os detalhes dos acontecimentos futuros, mas sintetizam e condensam sobre a mesma linha de fundo factos que se prolongam no tempo numa sucessão e duração não especificadas. Em consequência, a chave de leitura do texto só pode ser de carácter simbólico.”

 A Irmã Lúcia, no seu encontro com o enviado do Papa, Card. Tarcisio Bertone, antes da divulgação do segredo, reafirma a sua convicção de que a visão de Fátima se refere sobretudo à luta do comunismo ateu contra a Igreja e os cristãos, e descreve o imane sofrimento das vítimas da fé no século XX.

Também segundo a Irmã Lúcia, o “bispo vestido de branco” é o Papa, ainda que a visão não pareça referir-se a um Papa específico.

E foi este o terceiro segredo de Fátima que gerou alguma polémica pelos seguintes motivos, o primeiro é que devido à demora da publicação do Terceiro Segredo, várias especulações surgiram na Igreja e fora dela. Algumas falavam de uma guerra nuclear, outras do  assassinato de um Papa, ou da substituição do Papa por um impostor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s