4567890opl,

Chamo-me Ricardo Fonseca, tendo nascido há 34 anos em Lamego e morando há 11 anos em Lisboa. Sou do signo Sagitário com ascendente em Escorpião. Sou licenciado em Enfermagem, desde 2006 e mestre em cuidados paliativos desde 2015.

OteuBemEstar: Olá! Espero que estejas Bem porque hoje é dia de conversarmos um pouco sobre ti! Vamos começar? Primeira Pergunta que eu tenho para ti! Neste momento como te descreves, ou seja, Quem és tu?
Ricardo Fonseca:Olá, permita-me antes de responder a esta questão agradecer a oportunidade para esta conversa que sinto que vai ser muito especial, desde já a minha gratidão. Quem sou eu? Uma boa questão à qual vou respondendo diariamente pois todos os dias acrescento um pouco mais ao meu Ser, transformo-me e sou cada vez um pouco mais. No entanto, posso-me descrever como um homem consciente, muito emotivo e emocional, crente no Amor como sentimento Universal, sentimento esse que coloco em tudo o que faço e sou como Cuidador, quer na enfermagem quer na escrita. Confesso que também sou um Sonhador, um Crente nas Pessoas, um Enamorado pela Vida e ao mesmo tempo um missionário, acreditando que a minha missão de Vida é Cuidar em Amor e sou um homem feliz e realizado por estar a viver os meus dons e a minha missão.

OteuBemEstar: Muito bem! Conta-me como foi a tua infância?
Ricardo Fonseca:  A minha infância foi uma infância feliz, com muito amor à minha volta quer da família, amigos, conhecidos que me estimavam muito, porém posso ousar dizer que muitas vezes não me sentia enquadrado no meio onde vivia, pois achava que faltava
sempre algo nas pessoas com quem me dava que não compreendiam muitas vezes os meus silêncios, a minha fuga na escrita, o facto de me relacionar sempre com raparigas (sabendo eu que fazia parte do meu processo de aceitação da minha identidade sexual). Ao mesmo tempo essa felicidade na minha infância também se baseava no cuidar, cuidando dos idosos da minha rua (indo às compras por eles, fazendo pequenos favores, etc.) e nas pessoas da minha idade que me procuravam a nível escolar para os ajudar. A minha infância foi também o início do meu percurso como cuidador, algo que gostava imenso de fazer, sentindo-me realizado com a doação do meu carinho e do meu amor, compensando assim alguns reveses da minha infância, nomeadamente algumas experiências de bullying, que interferiam com o meu amor-próprio e a minha autoestima. No entanto posso afirmar serenamente que foi uma infância feliz.

OteuBemEstar: O que mudarias na tua infância?
Ricardo Fonseca: Bem! O que mudaria na minha infância? Talvez mudasse a minha forma de reagir perante as vicissitudes que me surgiam no caminho, tal como a forma de lidar com o bullying que me levaram a esconder em mim mesmo, a desacreditar das minhas capacidades e por isso julgo que se na altura tivesse outro comportamento, algumas situações do meu percurso de vida teriam sido diferentes. De resto, não mudaria mais nada a não ser o aperfeiçoamento dos cuidados próprios, olhando mais para mim e para a estruturação do meu Ser.

001

OteuBemEstar: Quando é que descobriste o teu “Dom”?
Ricardo Fonseca: Eu sinto que tenho dois dons, o dom de cuidar e o dom de escrever e ambos surgiram muito cedo na minha Vida. O dom de cuidar surgiu na infância ao cuidar de todos aqueles que me rodeavam com Amor, ao estar sempre disponível para ajudar, fossem as pessoas de idade da minha rua que precisavam de apoio e companhia, seja os colegas de escola que precisavam de ajuda nos trabalhos de casa e para estudar, fosse em casa a ajudar os meus pais, estando sempre a cuidar de quem amava. O dom da escrita também surgiu muito cedo, tendo começado a escrever sobre emoções pelos meus 10 anos de idade, escrevendo sobre o que sentia e não conseguia falar ou achava que não podia partilhar e esse dom foi depois também expresso nas cartas que escrevia às amigas, com palavras de carinho, conforto, sentindo que estava a cuidar através das palavras, porém estando muito longe de pensar que viria a ser a terapia que iria criar muito mais tarde.

OteuBemEstar: Qual é a terapia com que mais te identificas?
Ricardo Fonseca: Existem muitas terapias com as quais me identifico, sejam elas energéticas, físicas ou emocionais, mas a terapia com que mais me identifico é a terapia que concebi e tenho desenvolvido ao longo dos anos, a Escrita Terapêutica, onde utilizo a escrita como ferramenta terapêutica para promover a gestão saudável de emoções, o bem-estar. É a terapia que vive em mim, pois faz parte do meu Viver como algo totalmente intrínseco e não me vejo a desenvolver outra terapia senão esta.

OteuBemEstar: Quais são os teus objetivos nessa Terapia?
Ricardo Fonseca: A Escrita Terapêutica tem diversos objetivos, mas posso dizer que os objetivos principais são promover a gestão saudável de emoções, através da sua expressão pela escrita; promover o reconhecimento, compreensão e integração das emoções que estão relacionadas com os processos emocionais da nossa vida; promover o autoconhecimento, através da identificação das emoções com que lidamos diariamente; promover o bem-estar holístico através da vivência das nossas emoções, pela escrita; promover o aperfeiçoamento da relação pessoal e com o Outro, através da vivência saudável das emoções. É uma terapia com objetivos muito bem direcionados para o bem-estar holístico de cada um de nós.

002.jpg

OteuBemEstar: Tens alguma expetativa ou planos futuros para divulgar esta terapia?
Ricardo Fonseca: Esta terapia consigo desenvolvê-la e promovê-la a par da minha atividade profissional que acaba por ser a vivência física do meu outro dom, o de cuidar, como enfermeiro de pediatria, cuidando de crianças com doença crónica e das suas famílias. Curiosamente o começo da Escrita Terapêutica está intimamente relacionado com a minha vocação de enfermeiro, pois apesar de a praticar há muitos anos (desde os 10 anos, como referi anteriormente!), o seu maior desenvolvimento a nível pessoal deu-se quando comecei a escrever imenso sobre as minhas emoções ao cuidar das crianças e das suas famílias, sendo que a sua aplicação prática também aconteceu com os pais dessas crianças, para os ajudar a vivenciar tantas emoções.

OteuBemEstar: Qual é o teu maior sonho?
Ricardo  Fonseca: Tenho muitos sonhos, ou seja, sou um sonhador! Quanto aos sonhos e expectativas relacionadas com a Escrita Terapêutica, são muitos, pois quero levar a terapia muito mais longe e a muitas mais pessoas que irão beneficiar da mesma e, nesse sentido, quero levar a terapia às escolas, chegando aos jovens e adolescentes que vivenciam tantas emoções antagónicas e que iriam beneficiar muito da terapia; também quero levar a terapia aos hospitais, centros de saúde e aos profissionais de saúde para que a possam utilizar como ferramenta terapêutica nos seus cuidados diários para lidarem audavelmente com as suas emoções e das pessoas que cuidam; também tenho o sonho de levar a terapia além fronteiras, fazendo formação e dando formação na área, para munir mais pessoas, de diversas áreas e contextos, desta ferramenta terapêutica tão importante e ao dispor de todos nós….O meu maior sonho? Uma pergunta difícil, sendo eu um Homem com tantos sonhos! Porém olhando para todos os meus sonhos, posso resumi-los num único sonho que é transversal a todos os outros, que é perpetuar a minha marca pessoal na Vida de todos aqueles que se cruzem comigo, nas diversas áreas e contextos da Vida, marcando as suas Vidas em amor, sabendo que se sentem mais felizes, que Vivem a vida com outra forma de estar, que acreditam no Amor, na Esperança! Sim, este é o meu maior sonho e o legado que quero perpetuar.

003.jpg
OteuBemEstar: Completa a frase “Quando eu morrer…”
Ricardo Fonseca: “Quando eu morrer irei morrer feliz e realizado, pois sei que vivi o que queria viver, da forma que quis viver e não me limitei a deixar que a vida e o tempo passassem por mim e sei que a minha vida marcou tantas vidas e que o meu legado se irá perpetuar durante muito tempo, como o homem que foi um cuidador, um semeador de emoções, um missionário do amor.”

OteuBemEstar: A morte assusta-te?
Ricardo Fonseca: A Morte não me assusta, pois sei que faz parte do meu ciclo de Vida e que houve um início e haverá um fim a esta minha passagem neste mundo, neste tempo que me foi destinado. Confesso que o me assustava antigamente na morte era se eu morresse e não tivesse vivido o que queria viver, não tivesse feito o que queria fazer, não tivess amado e sido amado, mas como sei que todos os dias luto pelos meus sonhos, vivo todos os momentos como especiais, sejam quais forem as emoções de cada momento, sei que quando morrer, quando a minha hora de partir acontecer, olharei para trás e poderei dizer, que vivi o que queria Viver. Na morte, assusta-me mais o que permito morrer todos os dias se não fizer nada para contrariar isso enquanto posso e estou vivo.

OteuBemEstar: Acreditas na vida para além da Morte?
Ricardo Fonseca: Sim, acredito na vida após a morte, pois sei que esta vida que hoje vivo é apenas uma passagem neste mundo físico e neste tempo e que não acabará no dia em que partir deste mundo, pois as energias continuarão a expandir-se, a transferir-se, pois
somos energia nesta embalagem que é o nosso corpo e quando o nosso corpo esgotar as suas capacidades, a nossa energia irá até um outro local, seja ele qual for.

004.jpg
OteuBemEstar: Um momento marcante na tua vida?
Ricardo Fonseca: Um momento marcante da minha Vida? Foram muitos os momentos marcantes da minha vida até agora, mas um dos mais marcantes foi o nascimento da minha irmã mais nova, quando eu tinha 15 anos e poder cuidar dela foi dos maiores presentes que o Universo me deu, onde pude desenvolver o meu dom como cuidador e viver uma das mais belas expressões do Amor! Mas apesar de me ter pedido para referir uns momentos, permita-me acrescentar mais um dos momentos mais marcantes da minha Vida que foi o lançamento do meu primeiro livro há 10 anos, um dos meus maiores feitos pessoais.

OteuBemEstar: Qual foi o momento mais surpreendente que viveste?
Ricardo Fonseca: O momento mais surpreendente que vivi foi reencontrar o Amor, depois de me ter desacreditado da sua expressão passional, sendo que esse reencontro inesperado e totalmente surpreendente aconteceu numa altura em que não estava de todo disponível (pelo menos pensava isso!) para viver o Amor passionalmente e transformou-se no mais belo presente e na maior dádiva do Universo. Confesso que fui surpreendido com o meu encontro com o Amor ou como costumo dizer, com este reencontro de Almas e que me permite viver o Amor de um modo magnânimo.

OteuBemEstar: Se pudesses visitar qualquer lugar no mundo onde irias e porquê?
Ricardo Fonseca: Tenho imensa curiosidade em visitar a Índia, não para turismo, mas por causa da sua vibração espiritual e ir com muito tempo para mergulhar na sua cultura, na sua história, vivenciando todos os momentos como formas de me reencontrar, de me sentir, de me amar. Confesso que é um país que me desperta muita curiosidade e interesse.

005
OteuBemEstar: Vamos agora jogar a um Jogo que é o “Se eu fosse…” e tu irás apenas
responder o que eras e justificar. Pode ser?
Ricardo Fonseca: Sim vamos a esse jogo

OteuBemEstar: Se eu fosse uma frase…
Ricardo Fonseca: SE eu fosse uma frase seria “Sou um calcorreador da Vida, um semeador de Emoções, um missionário do Amor”, pois é a frase que resume o meu Viver, quem Sou, como Vivo e como quero ser recordado.

OteuBemEstar: Se eu fosse um livro…
Ricardo Fonseca: Se eu fosse um livro seria o livro “A Chave do Labirinto”, que é o nome do meu primeiro livro onde constam tantas vivências, tantas emoções, tantos sentimentos que são parte de mim, de quem sou, como vivo e por ter sido o trampolim e o alicerce para a minha vida como escritor e também como terapeuta e cuidador.

OteuBemEstar: Se eu fosse um filme…
Ricardo Fonseca: Se eu fosse um filme seria o filme “A vida é bela”, que é um dos mais belos filmes que vi até hoje, com o qual me identifico tanto, pois é um filme de Amor, de Cuidar, de Viver, apesar de toda a história envolvente e as emoções menos positivas inerentes, mas o AMOR daquele pai e tudo o que fez pelo seu filho é uma das mais belas
mensagens sobre Amar e Cuidar e revejo-me muito nele.

006.jpg
OteuBemEstar: Vamos continuar e finalizar a nossa conversa. Conta-me qual é a tua
maior qualidade?
Ricardo Fonseca: A minha maior qualidade é ser um exímio cuidador, seja qual for a área e contexto da minha Vida, pois é parte da minha essência, de quem sou e como Vivo, por isso considero a minha maior qualidade.

OteuBemEstar: O que é mais gratificante Ajudar ou Ser ajudado?
Ricardo Fonseca: Para mim, como já deve ter percebido em algumas respostas que dei, é muito mais gratificante Cuidar, saber que marco a Vida daquelas pessoas que precisam dos meus cuidados, que ajudo a ser mais felizes e a viverem melhor, sendo que nos últimos anos reaprendi a permitir ser cuidado, mas acima de tudo reaprendi a cuidar de mim que se tornou algo tão gratificante para a minha Vida e para ser como sou.

OteuBemEstar: Qual é o teu Lema de vida e porquê?
Ricardo Fonseca: O meu lema de Vida é que cada pessoa que se cruze comigo, saia de ao pé de mim mais feliz e esperançoso do que chegou, acreditando nos sonhos, na Vida e no Amor. A escolha deste lema deve-se por ser transversal ao meu viver como enfermeiro, escritor, terapeuta, como amigo, companheiro, familiar e como ser humano, pois quero que todas as pessoas se sintam felizes, que acreditem no Amor e sei que tenho contribuído em grande escala para isso, na Vida de todos os que já se cruzaram e
cruzam comigo.

OteuBemEstar: Que conselho darias às pessoas que te consultam e a todas as pessoas
em geral?
Ricardo Fonseca: O conselho que daria e dou a todas as pessoas que me consultam e em geral é que expressem as suas emoções, não tenham medo de enfrentar o que sentem, de
olharem para si mesmas tal como são, com características positivas e menos positivas,
de se amarem por serem quem são, dizendo a elas que Acreditem no Amor e nos
Sonhos e que se sorrirem perante as adversidades, as soluções surgem espontaneamente, viver torna-se mais fácil e poderão ser muito mais felizes.

OteuBemEstar: O que tens a dizer sobre a Positividade?
Ricardo Fonseca: A positividade? É uma característica que redescobri em mim próprio muito recentemente, apesar de ser alfo que incutia a todos aqueles que me liam, consultavam, porém que tinha dificuldade em praticar no meu dia-a- dia. Agora que acredito conscientemente nessa característica, posso dizer que é a positividade que nos permite avançar apesar das vicissitudes da vida, apesar dos problemas e desafios, que nos permite encarar a vida por outros prismas, ajudando cada um de nós a ser mais feliz, a sentir-se melhor consigo mesmo e com o mundo e a lutar pelos seus sonhos. Que a positividade seja uma constante no nosso Viver.

OteuBemEstar: Por fim chegámos à tua última pergunta. Achas que com esta conversa
conseguimos conhecer mais um pouco de ti e do teu mundo?
Ricardo Fonseca :Sim, esta conversa é muito reveladora sobre mim como ser humano, enfermeiro, cuidador, escritor, terapeuta, mostrando-me tal como sou, um ser humano acessível, disponível, pois muitas vezes há a ideia de que os escritores e terapeutas são pessoas inacessíveis e eu com esta conversa quero desmistificar esse conceito, pois sou um ser humano como outro qualquer, igual e diferente de todos aqueles que convivem comigo neste mundo.

OteuBemEstar: Obrigado por teres estado aqui “Àconversa” comigo!
Ricardo Fonseca: Agradeço eu a oportunidade para esta conversa, tão gratificante. Gratidão!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s