AMO-TE

 

Não podemos dar amor aos outros, se não o encontramos primeiro em nós mesmos nestes últimos tempos alguém me disse que a sua tarefa não é procurar por amor, mas meramente procurar e encontrar todas as barreiras dentro de si que construiu contra o amor.  Por outras palavras, precisamos limpar todas as rochas, os tijolos e os ramos dos programas e resíduos que com o tempo começaram a acumular-se á volta dela. Nós sufocamos o Amor divino que carregamos em nós mesmos e criamos a ilusão de que devemos procurá-lo em outro lugar.

Nós não podemos realmente sentir o amor incondicional, se não podemos lembrar do nosso começo primordial que se encontra no silêncio. Imagina agora o Sol a dizer: “Eu  amo-te”.A Quem estaria ele a dizer “eu amo-te”? Existe apenas o espaço ilimitado em torno dele, nada mais além da escuridão do universo onde o Sol esteve pacificamente flutuando por eras. Então, a quem o Sol está dizendo estas palavras? Para a única coisa presente, claro; o seu brilho, o seu Ser, à natureza divina a que, sem dúvida, se rendeu.

Então, por que não deixamos nossa imaginação livre? Vamos tentar imaginar o que “eu amo-te” está a fazer neste momento. Não tem mais nada a fazer além de colocar tudo em movimento, trazer a própria essência do Sol dos pontos mais profundos do seu núcleo até a superfície, transformando as violentas explosões em belas de luz, calor e energia que iluminam o universo. Também aquece a Terra; Cria vida, proporcionando-nos tudo o que sabemos.

Então, o que inspira a criação da vida em mim, em ti, em tudo? É a luz que cria vida, o teu amor, a tua ânsia pela existência, por alcançar os cantos mais distantes da tua singularidade. A vida é luz e vibração. Não há mais nada lá! Obviamente, “Eu Amo-Te” é o Criador, a intenção Divina de crescer e se espalhar no Infinito. Quando dizes “Eu  amo-te”, tu permites que a tua Luz salte do teu núcleo e viajes em todas as direções em direção ao seu Criador, e és tu mesmo.

Este é realmente o “eu amo-te” que  projetas para os outros! Este é o teu brilho neles! tu lhes dás vida; aqueces-os com amor e bondade. Portanto, não procure amor nos outros, pois só o encontrarás dentro de si. Nós refletimos amor sobre o mundo, sobre outras pessoas, sobre tudo em que colocamos nos nossos olhos. Nós então reconhecemos aquele brilho como o nosso e o interpretamos como Amor.

Assim, o Amor pelo qual ansiamos é uma interpretação do inefável em nós, a abundância que não tem fim. Não é irónico: nós sofremos vorazmente por migalhas, por aquela neblina matinal que ilumina o mundo, enquanto o Sol está em nós, ansiosamente desejando viajar pelo universo.

Vamos nos cercar de nosso próprio amor, é a única saída do programa escravizante. Não há mais nada que possamos fazer, porque se obscurecermos nossa luz, não seremos capazes de iluminar a felicidade, a paz, a alegria, a saúde e a vida que tanto desejamos … Apenas passamos sem rumo no escuro e esperamos que um dia tropeçaremos nessas qualidades da vida.

Deixo-te aqui alguns Links que te poderam ajudar nesta procura:

  1. Ser Feliz: Dicas para a Felicidade
  2. Escolhe quem te faz sentir BEM
  3. Apaixona-te por uma pessoa que lute por ti
  4. Lua Nova em Touro
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: