Escrever, Transformar & Ser Cap.II

Cada um de nós já deve ter escrito uma carta a alguém que ama ou deve ter recebido uma carta de alguém, sendo estas cartas uma expressão da Escrita Terapêutica, pois quando expressamos o nosso sentir estamos a expressar as nossas emoções, a recordar as nossas vivências mais íntimas e que nos remetem quer a boas memórias quer a memórias menos boas, todas elas relacionadas com pessoas que amamos e que nos amam.

O ato de escrever uma carta a alguém que amamos, pode ser realizado de diferentes formas, com diferentes tipologias de cartas, cartas essas que denomino como Cartas Emocionais, por serem testemunhos das nossas emoções, legados onde perpetuamos as nossas emoções, através das nossas palavras que irão tocar no coração e na alma de que ler as nossas palavras.

Uma das tipologias de cartas emocionais que podemos escrever, tendo em conta o lema desta edição, é a Carta de Amor, uma carta onde expressamos o Amor que sentimos por determinada pessoa, seja a nível passional, amizade, familiar, profissional. Nessa carta iremos colocar, através das nossas palavras, tudo o que sentimos por essa pessoa, tudo o que sentimos e vivemos com essa pessoa, assumindo a importância da sua vida na nossa Vida, a forma como contribuiu para um maior entendimento sobre o Amor, como nos ajuda a ser mais feliz, porque permite ser amada por nós e porque nós nos permitimos ser amado por essa pessoa. Esta é a carta emocional que dá asas a quem amamos para voar, onde demonstrados a sua liberdade, o nosso desapego, pois sabemos que o Amor não se mede pelo tempo que passamos juntos, mas que é transversal a cada segundo dos nossos dias, na presença e na ausência.

A Carta do Encontro é outra carta emocional que podemos escrever a quem amamos, demonstrando nessa carta, em consciência e gratidão, o quão foi e é importante o encontro de vida com essa pessoa, o que significa a presença dessa pessoa na nossa vida, o quanto a amamos, usando a expressão “Amo-te”, que tantas vezes temos medo de dizer ou utilizar, associada a uma sensação de medo de um apego, de uma possível banalização. É urgente dizermos que amamos e demonstrarmos esse mesmo Amor, que neste caso é através de palavras, das nossas palavras que são a materialização das nossas emoções, que irão fortalecer as raízes das nossas relações, fazendo com que quem Amamos e quem nos ama regresse sempre ao nosso Viver, seja qual for o tempo de ausência, pois sentindo-se amado e correspondido terá sempre motivos para voltar às suas raízes, vontade para nutrir essas mesmas raízes, motivos para nutrir e adubar o Amor.

Escrever sobre o Amor é aperfeiçoarmos e transformarmos o nosso conceito, vivendo uma paleta de novas emoções, mais amadurecidas, mais conscientes, sabendo que estamos a dizer a quem amamos que queremos que voe bem alto (e nós apreciaremos, em felicidade, esse voo, as conquistas, as vitórias), que crie as suas raízes na nossa Vida (sentindo-se pertencente a algo maior que a sua própria individualidade, criando a sua própria noção de porto seguro) e que queira permanecer em nós, mesmo nos momentos de ausência e distância espacial, temporal, pois em Amor, permanecemos sempre na Vida um dos Outros.

Caros leitores, não deixem de escrever, de falar sobre o Amor, de expressar as vossas mais belas emoções que evoquem a grandiosidade deste tão nobre sentimento que nos une, nos faz sentir parte de uma outra vida, que acrescenta algo majestoso à nossa Vida, permitindo ser livre e feliz, sendo sempre Amado e aprendendo a Amar e Cuidar.


Ricardo Fonseca

www.semearemocoes.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: