Escrever, Transformar & Ser Vol.2 Cap.VII

Tal como foi escrito no livro “O Principezinho” de Antoine de Saint-Exupéry, nós somos responsáveis por aquilo que cativamos e, dessa forma, devemos cuidar daquelas pessoas onde despertamos o Amor, seja qual for a sua forma de expressão, nutrindo essas mesmas relações, nutrindo o Amor que existe em nós e que existe no outro com quem nos relacionamos, seja em que contexto for.

Antes de apresentar alguns exercícios de Escrita Terapêutica que possam ajudar a mediar as vossas reflexões, gostaria que cada um de vós pensasse seriamente sobre estas questões “Onde e em quem tenho despertado Amor?”, “Como cuido daqueles que Amo e que me Amam?”, “Estarei suficientemente atento ao Amor que desperto no Outro?”. Durante esta reflexão, aconselho a que vão escrevendo algumas ideias, conceitos, emoções, sentimentos que possam surgir livremente, sem quaisquer juízos de valor, sem racionalizar em demasia a vossa reflexão, de modo a que este processo seja sentido e valorizado.

O primeiro passo, utilizando a escrita terapêutica e tendo em conta as anotações que foram criadas aquando as reflexões sobre as duas questões colocadas, é a criação da Lista de Amor, onde cada um de vós irá escrever o nome das pessoas em quem despertaram Amor e que cativaram, tendo em conta o vosso sentir e o sentir de quem vos tenha comunicado esse mesmo processo de Amar. Para criar esta lista devemos ter em conta que, muitas vezes, não nos damos conta ou não nos apercebemos das pessoas que cativamos ao longo da nossa Vida, não só por não nos ser dito, mas porque, tantas vezes, andamos distraídos que esquecemos que a cada momento podemos cativar alguém, por sermos como e quem somos.

De seguida, de modo a conseguirmos compreender algumas relações da nossa vida e o seu significado para o nosso viver, vamos criar a Lista de Cativação, onde vamos escrever o nome das pessoas que, em diversos momentos e contextos, expressaram que foram cativadas por nós, pela nossa forma de ser, estar, falar, sentir e relacionar. Ao elaborar esta lista, ao mesmo tempo que escrevemos o nome dessas pessoas, vamos anotando os momentos em que vocês sentem que isso aconteceu, como se sentiram nesse momento e como se sentem hoje, ao relacionarem-se com essas pessoas.

Anúncios

Tendo em mente os nomes das pessoas que escreveram nas duas listas (as mesmas não têm um término, pois podemos nos ir lembrado e escrevendo o nome de mais pessoas ao longo da nossa vida), podemos avançar para a elaboração da Carta do Amor ou seja, a escrita de uma carta escrevemos para nós mesmos, de um modo genuíno, qual o significado do Amor para nós, onde escrevemos o que sentimos quando amamos alguém, quando sabemos que tocámos na vida de alguém, sendo uma vida onde queremos permanecer. Ao mesmo tempo, através da escrita, refletimos sobre a cormo como cuidamos daqueles que amamos e que nos amam, sendo o mais verdadeiros e conscientes, para que possamos entender se há alguma mudança que precise acontecer, relativamente à forma como nos relacionamos e cuidamos das nossas relações.

Tendo em conta a Carta do Amor e as Listas de Amor e Cativação, vamos escrever a Carta para quem amo e/ou cativei, sendo que esta carta tem como objetivo ser entregue às pessoas em quem pensámos quando elaborámos as nossas listas. Ao mesmo tempo, esta carta, é para escrevermos sem juízos de valor e tendo em mente as emoções e os sentimentos que sentimos ao pensar nessas pessoas e na forma como atualmente nos relacionamos com essas mesmas pessoas.

Para escrever a Carta para quem amo e/ou cativei, podemos começar da seguinte forma: “Eu gostaria de te dizer o que sinto por ti (…), reconhecendo que não tenho dito o que te queria dizer (…), mas quero que saibas que (…), pois de facto és e/ou foste muito importante para mim, sendo que me lembro muito bem daquele momento em que aconteceu (…). “

A elaboração destas listas e destas cartas são muito importantes para refletirmos, compreendermos e aceitarmos a nossa forma de nos relacionarmos com aquelas pessoas onde despertamos amor e que cativámos, tendo em mente que podemos mudar a forma como vivemos as nossas relações, como nutrimos as relações com aquelas pessoas que queremos que permaneçam na nossa vida, tal como queremos permanecer de forma mais genuína e sentida, na vida dessas pessoas.

Não se esqueçam que quando cativamos alguém e somos cativados, estamos a entrar na vida dessa pessoa e a permitir a sua entrada na nossa vida, onde a constante é o Amor. Cuidem das vossas relações e sejam felizes.


Ricardo Fonseca

www.semearemocoes.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s