Uma promessa para toda a vida

Olá, a todos. Como foi a vossa semana? Cá estamos para mais uma rubrica. O livro que hoje vos trago é da autoria de Nicholas Sparks e chama-se Uma promessa para toda a vida.

Este foi, talvez, um dos melhores livros que li dele. Este livro conta-nos a história de Miles, Jonah e Sarah.

Miles Ryan, adjunto do xerife e pai do pequeno Jonah, fora casado com Missy Ryan durante sete anos. Conheceram-se no liceu, apaixonaram-se e casaram-se, tal como acontecia em terras pequenas, como era o caso de New Bern, no condado da Carolina do Norte. Certo dia, Missy sai para ir correr, após um pequeno desentendimento com Miles, e morre atropelada. Charlie, xerife do condado, é quem irá a casa de Miles dar a terrível notícia de que Missy fora atropelada. Miles, incrédulo, corre para o local e vê o corpo da sua esposa, sem vida, e coberto com uma manta, que dava a ideia de que quem a atropelou sentiu remorsos e estava a pedir desculpas pelo que tinha feito.

A relação de Miles e Jonah sempre foi forte e coesa, tendo em conta toda a responsabilidade sentida por Miles na sua criação.

Sarah Andrews, professora primária, chega a New Bern, vinda de Baltimore, para fugir de um casamento que acabara em divórcio, pois ela não podia ter filhos. Sarah esteve casada com Michael, pertencente a uma das famílias mais influentes de Baltimore, durante três anos. Apesar de não poder ter filhos, Sarah propõe a Michael adotarem, mas isso estava fora de questão, pois a sua família não iria permitir filhos adotivos no seu seio.

Quis o destino que o caminho de Miles e Sarah se cruzasse. Sarah é a nova professora de Jonah e, certo dia, chama Miles à escola para falar com ele sobre o filho. Miles fica inebriado com a beleza de Sarah e apaixona-se quase de imediato pela jovem professora. Nessa conversa, Sarah reporta a Miles o atraso escolar que Jonah tem. Como ele perdera a mãe muito novo, os professores anteriores não exigiam muito dele, deixando-o fazer desenhos na maioria das aulas. Sarah fica perplexa quando descobre que Jonah, que está no segundo ano, não sabe ler nem escrever. Miles, ao ouvir o que Sarah lhe tem para dizer, fica incrédulo, pois nunca nenhum professor lhe tinha dito as dificuldades de Jonah.

De modo a que Jonah não perca o ano escolar, Sarah oferece-se para lhe dar aulas extras às segundas, terças e quintas feiras, mas com uma condição: que o Miles faça um acompanhamento em casa nas tardes de quarta e sexta feiras. Miles, encantado com a generosidade da professora, aceita a proposta. Jonah, ao início, fica triste por ter que ficar mais tempo na escola, mas Sarah consegue tornar estas aulas extras em algo interessante para o pequeno Jonah, visto que em todas as aulas extras tinha direito a comer Oreos ao lanche. Em poucos meses, Jonah consegue recuperar o atraso e estreitar as lacunas existentes entre si e os seus colegas de turma.

Cada vez mais próximos, motivado pelo Jonah, Miles e Sarah apaixonam-se e decidem viver a sua paixão. Mas há algo que irá assombrar a relação: o mistério da morte de Missy, visto que o culpado nunca fora encontrado.

O destino que os juntou foi o mesmo que trouxe até eles a pior das verdades. Brian Andrews, irmão mais novo de Sarah, fora quem atropelara acidentalmente Missy Ryan. Nas férias de Natal, Brian viera casa e decidiu contar à irmã que tinha sido ele o autor do atropelamento. Sarah fica apática à medida que o irmão lhe conta a história. Findada a história, Sarah apercebe-se do dilema que tem entre mãos: proteger o irmão ou contar toda a verdade a Miles.

Escusado será dizer que Sarah, acompanhada pelo irmão, conta toda a verdade a Miles, pois sabia o quanto a morte de Missy os tinha marcado.  Miles, ao início, não queria acreditar no que estava a ouvir, mas havia pormenores que Brian tinha contado que não tinham sido revelados na impressa. Pior ainda, Miles pensara que Sarah sempre soubera da verdade e que se tinha aproveitado dele e de Jonah.

Digamos que Miles foi ao inferno e voltou. Dois anos depois soubera quem tinha morto o amor da sua vida. Apesar de sempre ter pensado que tinha sido um crime, chega à conclusão que fora um acidente, após ter confirmado com os seus próprios olhos o que Brian lhe contara da noite fatídica.

Miles também sabia que nada que fizesse traria Missy de volta, pelo que não prendeu Brian. Contudo, não o conseguia perdoar, apesar de se ter apercebido que aquele capítulo da sua vida estava, por fim, encerrado.

Provavelmente, devem estar a perguntar sobre o que aconteceu à relação de Miles e Sarah. Digamos que após algumas tempestades em alto mar, eles ficaram finalmente juntos!

Todos temos segredos que nos consomem e, quando descobertos, viram o nosso mundo do avesso. Por pior que seja o segredo, ocultá-lo é a pior solução. Vejam o caso de Brian: viveu dois anos da sua vida amargurado e consumido por um erro que cometeu (não o estou a desculpar, pois o seu ato foi gravíssimo).

Simplesmente, pensem comigo no seguinte dilema: se o Brian tivesse tido coragem de se entregar, das duas uma: teria sido preso, ou, pelo contrário, chegariam rapidamente à conclusão que tinha sido um acidente e, se calhar, o Miles e o Jonah tinham conseguido fazer o seu luto mais rápido e o Brian viveria menos atormentado. Se tivessem no lugar dele, qual seria a vossa reação? Igual, ou diferente?

Nunca nos podemos esquecer que as nossas ações prejudicam não só a nós como aos outros.

Até daqui a quinze dias …

TCR

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s