Bem Me Queres MAL Me AMAS

Olá, meus amigos, aqui estamos para última rubrica deste ano tão atípico. Uma das coisas que este ano nos mostrou foi a amar à distância. Por força de um inimigo invisível, fomos obrigados a deixar de amar quem amamos. Não deixamos de amar na totalidade, simplesmente tivemos que nos adaptar e amar à distância. Quantos de nós amou virtualmente? Quantos de nós deixou de abraçar os nossos amores?

Todo o mundo saúda o aparecimento de uma vacina, pois esta irá permitir que voltemos à nossa vida normal. Mas será que o que antigamente fazíamos, podemos tornar a fazê-lo com o aparecimento da vacina? Penso que, numa primeira instância, iremos continuar condicionados, mas penso que para meio do próximo anos poderemos voltar a amar os nosso, fisicamente. Vamos poder deixar as tecnologias e recuperar hábitos tão saudáveis como abraçar e dizer, cara na cara, amo-te!

O mote para o próximo ano será amar presencialmente e deixar de lado os aparelhos que tanto nos ajudaram nesta pandemia. Vamos voltar ao antigamente. Vamos passar a dizer mais vezes “amo-te” e vamos deixar as redes sociais. Vamos dar mais valor ao que temos à nossa frente para recuperarmos o tempo perdido!

Vamos amar presencialmente!

Até daqui a quinze dias!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s